Trilha: Dicas para Iniciantes

Trilhas são uma ótima oportunidade para iniciar uma atividade física outdoor. Se pra você, assim como eu, academia é algo inconcebível na vida, as trilhas podem te ajudar a começar uma vida mais saudável. Continue lendo “Trilha: Dicas para Iniciantes”

Anúncios

PETAR, um roteiro de aventura

Se soubesse que é tão legal, teria ido muito antes!

O Parque Estadual Turístico Alto do Ribeira que fica a 320km de São Paulo,  concentra a maior quantidade de cavernas no Brasil, e as que estão abertas para visitação são incríveis.

Já escrevi no post anterior como considero as cavernas atrações imperdíveis, e já as considerava assim mesmo sem ter tido este, que foi com certeza, um dos maiores hot spots brazil para o meu Currículo Aventura, que venho formando com bastante cuidado, desde 2009.

Bem, vamos ao que interessa. Foi MUITO MAIS DO QUE ESPERAVA!

O roteiro foi curto, de apenas 2 dias, mas mesmo assim, conseguimos conhecer 4 cavernas, pela ordem: Ouro Grosso, Lambari de Baixo, Água Suja (que de suja não tem nada) e por fim a famosa SANTANA.

Já contei que havia estado em cavernas [ em 2011 nas Cango Caves, África do Sul | e em 2013 em Bonito, no Mato Grosso do Sul], porém todas essas eram secas, ou seja, não tinham percurso com água.

Essas do PETAR foram as cavernas mais legais de todas, pois no percurso tinha MUITA água!

Para começar, fizemos um pequena trilha até chegar na Caverna Ouro Grosso. Nessa Caverna, encontramos animais pelas paredes, e no final uma pequena cachoeira para banho. Foi demais!

11214287_1042682319075626_6683350429894521742_n

996105_1042681389075719_8068207543707781_n

11741286_943036889076144_6633047691545377333_o

11987192_1042681155742409_5080462648852008745_n

 

Na Lambari de Baixo, tivemos um Rio para atravessar, e o percurso foi todo dentro dele! Super emocionante.

11987192_1042681319075726_4225363228346140862_n

11949481_1042680292409162_8255269119348036842_n

Já na Água Suja, Dia 2, fizemos uma trilha linda [e consideravelmente compridinha], porém com um das mais bonitos salões que pudemos encontrar. Nessa caverna, também encontramos uma queda d’água no final. Juro! é incrível a experiencia de tomar banho de cachoeira no escuro! Foi uma sensação indescritível.

11230255_943037149076118_757590511899078239_o

11987066_1042680359075822_3641491321813708329_n

11988322_1042884552388736_1105658837964304335_n

A Caverna Santana, é muito pertinho do lugar em que deixamos o carro. Tem salões imensos também, porém nesta, não tocamos na água, andamos por cima, sobre trilhas suspensas.

11222576_943043152408851_2016100209884382543_n

12002144_943043032408863_7490636793749794601_n

 

Veja mais Fotos clicando aqui.

 

O QUE LEVAR PARA AVENTURA EM CAVERNA: [O que levar para PETAR]

  • Tênis de trilha [o tênis de corrida escorrega demais, e dá instabilidade tanto nas trilhas como dentro das cavernas, portanto, não recomendo]
  • Head Lamp [ ao invés de lanterna de mão. pois ela deixa as mãos livres para segurar e como apoio para subir e descer]
  • blusas de manga comprida e calças [além do frio que faz dentro da caverna, por conta de passagens estreitas e animais, só é permitido entrar nas cavernas de blusa da manga e calça! Bermudas e regatas apenas nas trilhas]
  • repelentes [lá os borrachudos são transformeres, mesmo de calça, passe repelente a cada vez que sair da água ou suar muito]
  • água mineral
  • caixa estanque para máquina
  • mochilas ou bags a prova d’água


12006177_1042683242408867_166657569765260279_n

11998994_1042682152408976_5915385251756571591_n

O roteiro da viagem foi feito pela galera da PURA VIDA AVENTURAS, não preciso nem dizer que foi demais! Incluindo transporte, alimentação e atividades monitoradas foram muito bem gastos.

Apesar da aparente pouca distância da capital, o trajeto pode levar até 4h30! Isso porque além da Serra do Cafezal (que precisa ser dirigida com a maior atenção do planeta) ainda temos cerca de 80 Km de estradinha vai-vem cheia de curvas).

A Pousada que ficamos foi a Casa de Pedra. Comida das melhores do mundo, super aconchegante, com piscina e direito a fogueira a noite.

Iporanga é uma cidadezinha bem bonitinha, antiga, pequena e pouco desenvolvida, bem pacata. Existem um ou dois bancos (Bradesco e Caixa se não me engano), mas é o melhor lugar para ficar, quando o assunto é PETAR.

A parte mais difícil na viagem inteira foi tirar fotos. Estamos estudando e em breve teremos posts com dicas de como fotografar nesse tipo de ambiente (escuro, com movimento).

Fique ligado no facebook do BrazilianFeet e da Pura Vida Aventuras, que sempre tem novidade, aventura e coisas boas da vida.

é isso! ❤

O que que eu fui fazer em Manaus?!

dessa vez meus pés e meu coração foram levados para Manaus, capital do maior estado do Brasil, o Amazonas.

Os números dessa região são fenomenais: a Amazônia é o maior bioma do Brasil, o maior bioma tropical do mundo e tem maior bacia hidrográfica do planeta com 6mil km2 e 1,100 afluentes.

IMG_8585
A cidade é o maior centro financeiro e econômico da região Norte. e tem a maior ponte estaiada do país, com 3,600 m, sendo 400 suspensos por cabos.

tá fácil saber porque foi uma das melhores viagens até hoje, né?

com apenas 3 dias inteiros disponíveis, tive que correr pra fazer o maior número de coisas possíveis.

meu objetivo era conhecer a cidade de Manaus e a cultura local que, ao meu olhar patriota, é o lugar mais rico do mundo.

bem, Manaus superou minhas expectativas. Banhada pelo Rio Negro, tem muito lugar legal pra ir e se divertir gastando pouco.

O primeiro passeio que fiz foi ao Bosque da Ciência, no INPA. Localizado no bairro de Petrópolis, zona centro-Sul, é um parque com objetivo de lazer cultural socio-educativo para a população. Lá é possível ver os peixes-boi da amazônia, arinhas, jacarés da região, além de outros animais silvestres livres e soltos como as pacas, cotias, preguiças e macacos. As crianças e adultos se divertem muito. O ingresso custa R$5,00 e é possível chegar de ônibus, táxi / carro.

Peixe Boi da Amazônia

IMG_8169

De lá, peguei um ônibus e fui dar uma volta no centro da cidade, para conhecer o Teatro Amazonas.

O teatro, fica na praça São Sebastião, junto com outras construções históricas super bem conservadas. Eu amei essa praça! Além do visual ser super bonito, muita gente vem tocar violão na praça, conversar, e comer uma comida bem boa no Tambaquí de Banda ou no bar do Armando, super tradicional em Manaus.

IMG_8235

A noite fui até a Ponta Negra. Uma região tipo calçadão com muitas barraquinhas de comida, música, gente tomando banho de rio, atmosfera bem praiana mesmo, no calor úmido dos 26-28 graus!

Uma das coisas mais legais é o Café da manhã regional de Manaus. Eles tem restaurantes enormes só pra isso. No cardápio o tradicional sanduíche Caboquinho (Tucumã, queijo coalho, banana frita) e as tapiocas.  é uma delícia! e as porções são gigantescas. Até agora não sei como estou sobrevivendo sem o tucumã.

Dá pra comer bem por cerca de R$14,00.

Café da Manhã Regional, Manaus

IMG_9119

IMG_9120

Balneário 3 irmãos

A 3,800 km de casa, conheci o balneário 3 irmãos. Fica no km 23 da AM-070, e é bem bacana!

É um balneário de igarapé, um dos braços do rio Negro, onde a água é mais geladinha. Nesse baneário, tem muitos laguinhos com peixes da região, como o Tambaquí, o Matrinchã e até o Pirarucu.

A entrada custa R$5,00, o estacionamento R$5,00, e a ração pros peixes e tartarugas custa R$2,00.

Balneário 3 irmãos

Seguindo em frente, chegamos até a praia do Japonês, em uma das margens do Rio Negro.

Bem, foi demais. A praia é incrível de bonita, principalmente por conta do Rio, que nas beiradas, tem o tom alaranjado, e em algumas partes, a água tem cor de vinho, principalmente com a incidência do sol. Tecnicamente falando o grande responsável por esse efeito no rio, é uma micro esponja chamada Cauxi. Que inclusive muda a cor da sua roupa depois de algumas horas dentro da água.

Nessa praia dá pra andar de banana, caiaque, alugar boias e … nadar muito! De águas muito calmas, só tem banzeiros (marolas) quando algum barco passa por ali.

Ah, e tem mais, a água além de tudo é quentinha. cerca de 28 graus.

IMG_8387

IMG_8409

de lá, fui até as Ruínas Históricas de Paricatuba, no município de Iranduba.

Construída em 1898 para receber imigrantes, o prédio foi abandonado por diversas vezes e reformado outras, até se transformar em um hospital de leprosos em 1925. Em 1962 foi abandonado e até hoje está em ruínas, onde a mata já toma conta do prédio. É bem bonito.

IMG_8469

IMG_8510

IMG_8552

De lá fomos até o Flutuante Abaré. Em Manaus existem muitas construções marginais ao rio, flutuantes, que podem seguir com a cheia ou seca do Rio Negro.

O bar flutuante do Abaré só é possível chegar de barco, e tem acesso controlado. Lá é possível praticar SUP, e ainda ver um por do Sol bem bonito.

Por do Sol no Abaré, Manaus

IMG_8601

No último dia fiz um Passeio de barco pelo Rio Negro. Foi igualmente incrível.

Esse passeio dura cerca de 1 dia. é possível chegar na marina, em frente ao Mercado Municipal, procurar pelo Comandante Cuandu, e fechar o passeio diretamente com ele. Os preços dos passeios ficam por volta de 200,00, com almoço incluso. É preciso perguntar, pois depende da demanda os preços podem variar. Extistem agências que fazem esse tipo de passeio, porém, cobram mais caro.

No passeio, conseguimos ver vilas inteiras com mais construções Flutuantes e vimos também o encontro das águas do Rio Negro e Solimões.

IMG_8709

IMG_9086

Fizemos uma trilha até as Vitórias Régias, uma das plantas aquáticas mais famosas do Brasil.

Quem se lembra da lenda da Vitória Régia, que aprendemos na escola? Relembre aqui.

IMG_8779

IMG_8767

Outro momento emocionante foi o encontro com os Botos. Nosso golfinho de água doce, exclusivo dos rios amazônicos é extremamente dócil e tem a pele com textura emborrachada.

IMG_9079

IMG_9081

IMG_9075

Participamos de um ritual indígena, na Tribo Dessana, na comunidade São João. Lá além de ouvir músicas dos rituais típicos da tribo, ainda dançamos com eles no final. Foi muito muito muito especial.

IMG_8942 IMG_9007 IMG_8969 IMG_9036

IMG_9078

Eu voltaria pra Manaus amanhã. É um lugar muito especial, com pessoal ótimas, hospitaleiras, disponíveis sempre a ajudar, e muito muito generosas.

é uma região abençoada, muito bonita e com vida silvestre abundante.

Tem muitos outros lugares para conhecer por aquela região, como Presidente Figueiredo, Novo Airão e Parintins. Ou seja, ainda tem muita coisa pra fazer por lá, e espero por voltar em breve.

IMG_9112

Onde ficar:

Do ladinho do Teatro Amazonas, tem um Hostel muito charmoso, o Local Hostel Manaus.

Eles oferecem preços acessíveis (cerca de R$50,00), opções de quartos mistos ou femininos, além de todas as dicas dos melhores passeios pra floresta amazônica. 😉

17408_361653277375233_5994140800400581947_n
Local Hostel Manaus

Vem pra MANAUS!

Fontes:

http://www.mma.gov.br/biomas/amazônia

http://www.manaus.am.gov.br/

http://portal.inpa.gov.br/

Fotos: Iphone 5s e GoPro do Dani.

Eu me amarrei em Brotas, Daniel!

no início desse mês me joguei novamente com a Pura Vida e dessa vez nossa parada foi em Brotas, no interior de São Paulo.

A cidade é super conhecida pela tradição nos esportes de aventura, assim como a Pura Vida e eu. Logo, só poderia sair coisa boa dessa junção.

O mais legal do passeio com eles, é que o objetivo é a superação e a adrenalina. Com isso, se for pra fazer rapel, vamos fazer o melhor, o maior, o mais seguro e o mais alto. Se for pra fazer Rafting também.

O passeio em Brotas começou com o Canionismo na Fazenda Cassorova que possui 2 cachoeiras: a da Cassorova com 2 quedas, e a dos Quatis com 1 queda.

O Canionismo é uma prática que une trilha pelo cânion, rapel e cachoeira. Isso mesmo, tudo misturado.

Primeiro descemos a Cachoeira da Cassorova

A maior parte do rapel nessas cachoeiras é negativo, ou seja, não temos contato com o paredão. A parte boa é que dá pra curtir mais o visual inédito.

Cachoeira Cassorova, Brotas - SP - Brasil

Depois, fizemos uma trilha rápida dentro do rio, que dá origem a Cachoeira dos Quatis.

Canionismo - Brotas, SP - Brasil

Essa última decida teve direito a ducha! hahaha que delícia!

Cachoeira dos Quatis, Brotas, SP - Brasil

10991225_921170377893488_3375206682988417229_n

Rafting na Cachoeira - Chachoeira dos Quatis - Pura Vida Esportes e Aventura
Rafting na Cachoeira – Chachoeira dos Quatis – Pura Vida Esportes e Aventura

Depois de voltarmos a fazenda, um almoço delicioso estava nos aguardando. Bom demais da conta foi a piscina natural pra fechar o dia com chave de ouro.

Fazenda Cassorova - Almoço 10418988_925591510784708_851315728395698052_n

No segundo dia fomos praticar o Rafting.

A técnica consiste na descida de corredeiras em um bote inflável. Eu nunca havia praticado e o saldo foi muito positivo. é uma delícia. Descemos o maior rio de Brotas, 15km de Jacaré Pepira. o percurso tem pausa pra banho, escorregador natural e uma paisagem bem bonita.

O Rafting é bem mais complexo do que eu imaginava. O condutor do barco tem função fundamental de liderança da equipe. Precisa nos fazer remar da forma certa, e atender aos comandos para que possamos descer em segurança.

Este rio varia entre o nível 3 e 4, dependendo do nível da água, que por sinal, estava bem baixo.
Mesmo assim, deu pra nos divertirmos muito. Olha as fotos:

Rio Jacaré Pepira [Gopro - Diogenes Cassiano - Equipe Pura Vida]
Rio Jacaré Pepira [Gopro – Diogenes Cassiano – Equipe Pura Vida]
Rafting em Brotas - Vaca Náutica Raftinf em Brotas - Vaca Náutica

O coordenador da equipe Vaca Náutica que desceu conosco é Tricampeão Brasileiro de rafting, ou seja, manja paca.

O QUE LEVAR NO RAFTING:
Bem, é obrigatório o uso de sapatos fechados, e recomendo um bem leve, para que possa nadar melhor. Eu fui com um bem pesadinho, e não foi legal (só fui pois era o que já estava molhado do dia anterior).
Recomendo também roupas escuras (pois é barro puro).
No rafting sempre existe o risco de cair todo mundo na água e se tratando de correnteza, o que você levar corre o risco de cair na água e perder, não levei minha câmera a prova d’agua, me arrependi um pouco, mas hoje sinceramente não levaria nem óculos de sol.
Super recomendo Boné e muito protetor solar antes de sair do hotel.

Essa ecotrip foi demais, pura aventura, muita adrenalina e de muita responsabilidade também.

Através desses esportes, é possível observar a natureza humana, da flora e da fauna sobre um outro ângulo, um novo ponto de vista. Não há nessa equipe o intuito de desafiar o poder da natureza, não, ninguém tem essa intenção ou pretensão. o intuito é observar a natureza, a nossa capacidade de superação, equilíbrio e harmonia.

Esse é um turismo responsável, sem agressão ao meio ambiente, e ao ecossistema local. Não tem depósito indevido, não tem lixo em lugar errado, não tem desvio de rio e não tem construção de resort e nem cativeiro de animais,

Mas esse é papo para um outro dia.

SHOW ME THE MONEY!
Nesta trip eu gastei cerca de:

480,00 – Pacote Pura Vida (Com hospedagem, passeios, equipe, equipamento, todos os transportes)

100,00 – Com toda alimentação

Ah, ia quase me esquecendo, o HOTEL NATURAL que ficamos é demais! Super confortável, chuveiro delícia, estrutura ótima e bom atendimento.

10983401_923255074351685_8244133390043959728_n

Jardim Botânico – Curitiba, PR

visitei o jardim botânico no ano passado.

minha prima-irmã casou e foi-s’imbora pro Paraná. a visita foi massa, mas doída, por saber que em breve estaríamos quase 700km mais longe uma da outra.

chororôs a parte, quero dividir como foi a viagem e claro, deixar algumas dicas sobre o lugar.

A viagem e sí não foi super turística. Nosso destino era a praia de Caiobá, litoral paranaense, mas só choveu. aproveitamos um violão, bagunça e muita risada, luau a noite e tudo.

Na volta é que fomos visitar o Jardim Botânico de Curitiba.

Posso falar? O lugar é lindo e me surpreendeu demais. Realmente é uma das maravilhas do Brasil.

A atração

Primeiro que o jardim é super bem cuidado, impecavelmente bonito. A estufa então, é demais. Abriga muitas espécies nativas, uma fonte d’água, e tem vista dos vários andares. toda a estrutura é armada, de treliças. O que te dá visão para todos os lados do parque e da estufa.

O Jardim inteiro ainda tem um percurso atrás da estufa, com mais plantas, fontes e muitas árvores. Todas nomeadas, e algumas com curiosidades. A vista do entorno é repleta de araucárias. aliás,  o percurso todo de SP para CTBA pela Régis Bittencourt é lindíssimo e cheio de florestas e florestas de araucárias.

DICA IMPORTANTÍSSIMA: Menina, não vá de saia! todos os andares são de um tipo de treliça e quem tá embaixo vê tudo! rs

Olha algumas fotos que tirei:

409263_508471515830045_1917817333_n

46045_508471732496690_1403526859_n

311211_508472252496638_1441775809_n

299759_508472235829973_742510471_n

311211_508472239163306_1522036599_n-2

Penicilina - Jardim Botânico de Curitiba

Como ir

Para chegar até lá, fui de ônibus até o Terminal Rodoviário do Tietê, comprei a passagem por R$99,00 rumo a Curitiba.

(os preços das passagens variam de R$ 75,00 a 120,00 – depende do horário, tipo de ônibus e viação. Eu fui pela Cometa)

A viagem é longa. Durou cerca de 7 horas em um ônibus leito com wifi e cobertor. Bem, eu dormi bem mal. estava super mal colocada naquele assento, minhas perninhas pequenas ficaram penduradas, logo meu pé inchou, e dai já viu!

O bom é que a gente pega o nascer do sol na serra. e é lindo! ❤

Detalhes gerais sobre o Jardim

Fica na Rua Eng°. Ostoja Roguski, s/n°. – Jardim Botânico.
Tel: (41) 3264-6994 (Administração) / 3362-1800 (Museu).

Funciona das 06h00 às 20h00 – durante o horário de verão.
Das 06h00 às 19h30 – durante o horário de inverno.

Como ir de Busão: Expressos Centenário/Campo Comprido e Centenário/Rui Barbosa. Descer ao lado do Botânico.

Linha Cabral/Portão. Linha Alcides Munhoz (ponto Al.Dr.Muricy). Descer em frente ao Jardim Botânico.

Ah, e o legal: é gratuito.

Informações extraídas do site da prefeitura de Curitiba, a cidade modelo, rs.

No geral, vale muito a pena passar por lá. Realmente é lindo, cartão postal desse nosso Brasilsão.

é isso! arranca o sapato e se joga!

549126_508472375829959_1929439627_n-2

rapel na cachoeira, e ai?

como publiquei no post Let’s Waterfall, depois de muito tempo relutando, aceitei o convite do Mika e fui praticar rapel.

na semana passada estreei no cascadin (mais conhecido como rapel na cachoeira) com 40 metros de altura. =O

viajamos cerca de 300km até Botucatu, no interior de São Paulo, até chegarmos na cachoeira da Pavuna. o lugar é lindo! deu pra aproveitar muito o solzão, tomar banho na primeira queda d’água e fazer amigos tão doidos quanto eu =)Cachoeira da Pavuna - Botucatu,SP

1470262_875169995826860_7698294571991963337_n

a experiência do rapel foi muito diferente de tudo que já fiz. e se quer saber, se aproxima mais do mergulho do que de todas as outras coisas.

me explico: o rapel exige mais do que os outros esportes radicais (digo para os iniciantes comparado ao bungee e paraquedas,  e que se assemelha muito com mergulho) pois exige maior autocontrole, mais equilíbrio, mais coordenação e raciocínio. sim, tudo isso.


1779310_875169715826888_7291447218022059966_n

as cordas estão bem presas, ufa, os instrutores (que são feras na técnica e quase psicólogos) te instruem muito bem e passam super segurança.

o rapel é uma técnica que deriva do alpinismo. com as cadeirinhas e preso pela corda, você controla a descida e o seu equilíbrio.

equilíbrio porque, pendurado, você vira um pêndulo. para não perder o controle, e ficar balançando pra lá e pra cá  (provavelmente se ralando nas pedras, rs) é necessário seguir algumas instruções para a descida.

pernas abertas, planta dos pés no paredão (paredão cheio de limo no caso da cachoeira), pensar onde colocar os pés, e o pior: não se desesperar caso algo saia do controle.

é claro que enquanto você desce, outros instrutores ficam no final do percurso “dando corda” e travando sua descida, caso necessário. portanto, é um esporte seguro, (viu mãe). Encontrei um histórico legal no WikiPedia, clica aqui depois.

Rapel Cascadin
Pura Vida Esportes e Aventura

como qualquer outra experiência, passei uns perrengues e tenho algumas dicas. dá uma olhada:

Onde fazer

A primeira coisa que indico, é fazer com uma equipe legal e responsável. Fui com a Pura Vida Esportes e Aventura. Essa galera é especializada em rapel e uns fofos. Entrei em contato com a Andreia, que me passou TUDO a respeito, tirou todas as dúvidas pré evento, e já de cara me passou aquela segurança essencial.

Pura Vida Esportes de Aventura

O que vestir e o que levar pra fazer rapel na cachoeira

Pra praticar o rapel não tem como fugir. Quanto mais confortável, melhor. Meninas de leggin’ (para as que tem alergia a picada, é sempre bom aquelas leggins que cobrem o tornozelo. mesmo assim, aprendi no pantanal que repelente, mesmo com calça é essencial) e tênis. Para fazer trilha, o bom é sempre um tênis de trilha. rs. é besta, mas como eu iria molhar o tênis, pensei: “vou colocar um mais velhinho de  corrida”. Nossa! Pior besteira. Quase cai morro a baixo de tanto que o tênis escorregava na trilha. Maior sufoco!

Trilha - Cachoeira da Pavuna

na cachoeira, o meu tênis de corrida funcionou. não escorregou TANTO quanto eu imaginava. MAS, o ideal MESMO para descer o rapel, é a sapatilha própria para o esporte. Olha aqui a indicação da equipe.

o que me salvou muito, foi ter levando uma roupa sequinha para trocar depois da cachoeira. inclusive meia e um segundo tênis. (dica da equipe também)

me arrependi de não ter comprado uma capinha a prova d’água pro iPhone. Devia ter levado e tirado altas fotos do meio da escalada. =/ Acho que vale para as próximas trips! Olha que massa essa que encontrei.

no pacote, estava incluso um kit lanche (DE-LI-CIA), que incluía: 1 maçã, 1 sanduíche natural de peito de peru e queijo, 1 suco Del Valle, 1 Clube Social, 1 carrinha de cereais. Salvou a vida! recomendo levar um lanchinho extra se for dos mais famintos, pois ficamos das 11 as 17h por lá. e na volta, devoramos uns salgadinhos. =P

10366186_875170165826843_7706356560681173565_n

o passeio ainda teve mais. a noite fomos para a Chácara Canaã.

show a parte.

depois que voltamos da cachoeira, tomamos um banho delícia, jantamos comida de vó, e ainda curtimos uma fogueira com comidinhas caipiras (meeeu o que era aquela canjica da Dona Vera?!).

Chácara Canaã - Bofete, SP

a chácara é da família dos donos da Pura Vida. então imagina só o cuidado com a gente e com o lugar.

No domingo, ainda curtimos a piscina, TENTAMOS nos equilibrar no slackline =P, e almoçamos um churras campeão.

Slackline

bem, no resumo da ópera a viagem foi incrível. além de conhecer muita gente massa, ainda curti muito o rapel. mais do que recomendação, é prescrição médica.

e se eu faria de novo?

não vejo a hora do próximo!

😉

10628099_875170205826839_2224284409416398172_n

let’s waterfall

a vida traz muita supresa boa, muitos acontecimentos inesperados de tirar o fôlego. porém, acredito que muitas oportunidades surgem vaaárias vezes na nossa frente e a gente deixa passar.

faz ANOS que um amigo do trabalho (instrutor disfarçado de TI) me chama para fazer Rapel, e só agora, com essa injeção de novidade na veia, eu resolvi aceitar. bem, pra tudo tem uma hora, né? e a minha tá chegando!

pela primeira vez vou praticar a descida vertical, e na estreia já vamos logo de água junto!

vamos praticar o Cascading na cachoeira da Pavuna, em Botucatu-SP.

serão 40 metros de cachoeira de morrer de frio na barriga.

10675764_791641437564636_7396590690983261126_n

bem, vam’bora. se alguma coisa pra parar a gente, que seja a polícia, e não o medo.

é isso!

férias no brasil: Bonito – MS

depois de um ano de grandes emoções e muito trabalho, chegou a hora das desejadas.

escolher onde eu iria não foi fácil, principalmente porque a grana era curta.

viajar pelo Brasil é caro. mas, ainda sim, mais barato do que se transformasse as contas em dólar (mais caro que o tomate! rá).

decidi ir pra Bonito e Corumbá, Mato Grosso do Sul.

se foi bom? foi incrível.

Bonito é bão demais!, e eu vou dizer porque qu’eu acho isso:

– a hospedagem foi barata e ótima. fiquei no HI Hostel. lugar bem bonito, limpo, arrumado, organizado, e que entregou tudo o que prometeu. gastei cerca de R$32.00 mangos por dia (de hospedagem). achei bem justo.
Dentro desse hostel tem uma agência de turismo, que está apta a fechar os passeios. é mais rápido, prático e simples fechar os passeios, remarcar, cancelar e etc.

– bonito é uma cidade bem abençoada. repleta de nascentes cristalinas, pessoas do bem, muitas aves, peixes, mata de cerrado exuberante. tem uma intervenção turística respeitosa e inteligente, pois vc consegue aproveitar tudo, sem destruir, degradar e sem ser lesado financeiramente.

 

os lugares que passei bem:

. flutuação no aquário natural

aquário natural - bonito, ms
aquário natural – bonito, ms

é fofo demais! 900m de flutuação num rio de vista lindíssima.
muito peixe, água bem cristalina, bastante vegetação.
treinamento bem legal, dá pra ficar tranquilex. foi a primeira vez que fiz snorkeling, achei que fosse passar meio mal, por ficar de máscara e tal, mas foi super tranquilo.

esse rio fica na Reserva Natural Baia Bonita. lá tem um lugar de recuperação dos animais silvestres que foram atropelados, abandonados, resgatados pelo IBAMA.
lá tem tbm uma tirolesa MASSAAAA!!! e eu que gosto pouco de me jogar dos lugares, né? (clica aqui pra ver sobre o salto no maior bungee do mundo!)

tirolesa

 

.gruta do lago azul

1391735_671043246239537_341119039_n

não, não é miragem e nem filtro do photoshop. é assim mesmo. lindo e maravilhoso.
por conta do solo ser cheio de calcário, as grutas se abriram nos milhares de anos passados, e a água é cristalina e azul. cartão postal de Bonito, é que nem ir no Rio e não conhecer o CR. se estiver chovendo não dá pra ir. sem dia claro a lagoa não fica incrível. R$36.00

 
.mergulho na lagoa misteriosa

folder_Lagoa Misteriosa - Jardim, MS

a visão mais linda que eu já tive na vida. e olha que isso é o que eu mais gosto de colecionar.
imensidão azul. é nessas horas que vc se agradece, se emociona e vê a grandiosidade de Deus.
lugar ideal para um batismo de mergulho pois: água parada, sem animais enormes, água com 60m de visibilidade, guias incríveis, equipamento de primeira. foi um investimento, que valeu super a pena.
R$278.00

a lagoa fica pertinho do Recanto Ecológico do Rio da Prata, então vale a pena passar por lá tbm. o almoço foi expetacular!

 

.projeto jibóia

projeto jibóiaR$-+25.00

que bagulho da hora! o cara trabalha na conscientização de natureza e desmistificação de cobras, serpentes e eteceteras. é lição pra vida.

tudo o que ele diz no dia da visita, é a MESMA coisa que eu aprendi com os africanos lá da savana: conhecer sobre o hábito dos outros animais, tira o medo, aumenta o respeito, elimina em 99% as chances de ataques, mortes e acidentes.

eu AMO animais. claro que tenho restrições, não vou sair por ai abraçando urso. eu tinha às cobras. mas é incrível como o conhecimento traz segurança, e ouvir, assimilar o que o outro tem a dizer, pode mudar nossa vida.

Bonito tem muitos balneários. como esse aqui: Balneário municipal de Bonito, MS custa R$15,00 pra entrar, e vc passa um dia suuuuper agradável.

 

Como chegar nos lugares:

.Fui de: mototaxi pros balneários. é tranquilo se vc estiver só e não dirigir. rs
dependendo do lugar, vai chega a 25.00 ida e volta. vc marca um horário e ele vem te buscar. mó barato.

.Fui de Van: nos passeios mais distantes. alguns MUITO distantes e que tem menor procura, as vezes a van émais cara que o próprio passeio. por isso é bom ficar ligado, e conversar na agência para conjugar o transporte.

 

bonito tem muito passeio. muito lugar lindo pra conhecer.
todo mundo diz que é caro. e é.
na verdade, o passeio em si não é caro, com a infra que eles tem, almoço, equipamentos e guias de primeira, não é. o “pobrema” é quando vc junta tudo +transporte, e gasta os tubos em 7 dias seguidos. dai lascou.

gastei em 5 dias o montante de R$900.00 (passeios + transportes + hospedagem + almoço)

estou fazendo um apanhado de dicas. vou concentra-las nos próximos posts.

tem lugares que merecem postagens a parte, e terão.

Como o Pantanal por exemplo. em breve.

bem breve.

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑