Praia do Guaiúba e sem carro. 

Cada vez mais conheço pessoas que optaram por não ter carro, e que até nem dirigem. Essa onda de camelos cresce cada vez mais em São Paulo e no mundo. E antes fosse pela consciência de emissão de carbono, mas as pessoas estão deixando de ter carro pelo crescimento das alternativas de locomoção, aumento da violência e chancelada pelo custo de se ter e manter um carro na maior metrópole da América Latina, estão nos levando para esse caminho sustentável. Continue lendo “Praia do Guaiúba e sem carro. “

Anúncios

sobre desviar dos obstáculos

1382903_671058129571382_1756953879_n

Quando desviamos de um obstáculo, quem faz o esforço somos nós.

o obstáculo está ali, parado, não irá se mexer, e por mais que ele deva, ele não vai. pois ele é um obstáculo por definição. rs

não importa o quão grande ou pequeno ele seja, ele não pode se mover tamanha ignorância do quanto ele está sendo um obstáculo.

nestes momentos temos três alternativas: ficarmos parados até que a tal pedra se mova; escala-la até o alto sofrendo todas as conseqüências; ou desviar.

quando acontece com a gente, desviar parece submissão, mas não é. absolutamente.

o desvio é a inteligência sobrevalendo* e entrando em ação.

e inteligência gera coisas boas.

estar no caminho certo e não aceitar o desvio é teimosia, e não traz nada de bom, além do que, é o sofrimento mais longo.

Thank you Lord for the Light In.

😉

* Sobrevalendo: acho que inventei essa palavra 😛

rafting: tá chegando!

O que é bom a gente repete, né?

isso pra tudo na vida! Tanto parquela pessoa que você quase deixou escapar, tanto pras pessoas legais que a gente conhece no meio do caminho.

o que a gente não sabe que é bom, a gente experimenta, né?

isso também em todos os aspectos, mesmo porque não tem como saber como é, sem experimentar.

Por isso, além de ir atrás do homem da minha vida, eu volto com a invasão azul e me jogo na água de novo.

Desta vez em Brotas, dias 7 e 8 de fevereiro. Primeiro dia em cascadin em 2 cachoeiras, e domingão um rafting pra fechar com chave de Ouro.

Eu nunca fiz rafting, e tô super ansiosa!

Vai ser pura aventura! ❤

Brotas - PURA VIDA

Se interessou? Ainda dá tempo! Olha aqui todos os dados do evento.

Depois conto mais.

vamos saltar de paraquedas?

quase todo mundo acha que é coisa de doido. e ‘tão certos! é mesmo!

saltar de um teco-teco há mais de 3,600 metros de altura, mais de 250km por hora, em 45 segundos de queda livre e confiar no paraquedas, realmente não é pra qualquer um.

é só para aqueles que reconhecem que há uma forma diferente de ver a vida, que andar ultrapassando os limites do comum não é insanidade, mas sim excesso de segurança.

depois de ter experienciado muitas aventuras diferentes, digo com toda e absoluta certeza que experimentar coisas fora dos nossos limites nos traz as melhores sensações da vida. experiências realmente únicas, que ultrapassaram a minha capacidade de descrição.

407445_369910589686139_78301987_n 405569_369910633019468_652256474_n

no entanto, muitas vezes para isso, é necessário romper as nossas próprias barreiras de medo, e ter uma atitude muito maior do que a do que a coragem: é necessário confiar que vai dar tudo certo.

entre o sim e o não, eu sou sempre SIM.

e ainda digo do fundo do ❤ que não há nada a temer. Deus está sempre conosco nos protegendo, e nos direcionado para o caminho certo.

isso é no que eu creio e vivo.

 

 

No dia 13 a Pura Vida vai levar uma galera para saltar de paraquedas e dar um rolê de balão. 

(clica aqui para ver o evento de pára-quedismo e balonismo)

 

Proust, Marcel

“… A única viagem verdadeira, a única fonte da juventude, não seria visitar outros países, e sim ter outros olhos, ver o universo com os olhos de outros, de centenas de outros, ver o cem universos que cada um deles vê, que é cada um deles.” –
Marcel Proust

10509626_806878032656057_5750334080681318259_n

Back in Brazil

Do que é feito um projeto?

Este foi o primeiro começo de ano da minha vida, que não inicio fazendo planos e promessas, nem pra mim, nem pra Deus.

Nada de pular sete ondas, nada de suspiros de um mundo melhor.

Comecei o ano indignada, me perguntando POR QUE eu demoro tanto tempo, para fazer aquilo que eu tenho vontade. Por que?

Por que sempre eu quero ser uma pessoa que eu ainda não sou. Por que?

Ir pra África do Sul, me mudou tanto por dentro que eu me vi um retangulo querendo se encaixar dentro de um triangulo, ou vice e versa, assim que voltei para o Brasil.

Anyway…

Eu decidi então orar para que as oportunidades certas surjam.

Perguntar pra mim mesmo se é um caminho que me leve a algo bom e mandar ver.

Essa foi a grande mudança. Não há promessa, há decisão na oportunidade.

Pensando nisso, que aceitei a proposta das malucas da minha igreja de correr a São Silvestre, aqui em São Paulo, no último dia de 2012.

Maluco né?

Pra quem sempre odiou academia e amou natureza, colocar um desafio de correr uma maratona, parecia algo tão distante, assim como conhecer a África um dia foi.

Mas como projetos não se fazem apenas com desejos e promessas, hoje pela manhã estávamos nós: Cibele, Maroca, Paty e eu no parque Florestal do Horto, na zona Norte de SP, prontas para o nosso primeiro treino.

Foi massa!

Aprendi que além do desafio, temos que superar as barreiras que nós mesmas colocamos na nossa vida.

Eu não sou magrela, (estou bem longe disso) e nunca fui atleta.

Correr sem ficar esbaforida é algo bem distante pra mim.

Graças as meninas, hoje corri! =D

Primeiro treino para São Silvestre

Eeeeeeeee! Aquecemos 30 minutos de caminhada power, e corremos 1min / para cada 4 de caminhada

Precisamos melhorar o ritmo, pegar firme, melhorar o tempo, mas pro primeiro dia, foi muito bom.

É isso, simples assim.

Vamos aos poucos, passo a passo, porque o final do ano está quase chegando.

risos,

Bah.

O que é OCA? (Reflexões tardias)

A oportunidade surgiu.

Depois de uma semana sem nenhuma oração, comecei a me sentir sozinha e a pensar: Caramba, não era eu a pessoa que dizia nunca estar só?

Voltei a falar com ELE.

Eram muitas as novidades, muitas atividades, amigos, ingles… tinha esquecido pelo cansaço, de orar.

APRENDI na OCA que Deus está sempre comigo, por que ele mora dentro de mim. Mas que quando a nossa alma fica maior do que o espírito, sentimos falta de Deus.

Sinceramente, algumas escolhas no meio do caminho não foram boas, e agradeço pelo arrependimento instantaneo na constatação: O MEU LUGAR NÂO É AQUI.

Perdi oportunidades de falar de Deus, talvez não fosse mesmo o momento, e comecei a pedir isso pra Deus. Cara, me ajuda. Preciso da oportunidade, me coloca no lugar certo na hora certa.

Dito e feito.

No dia seguinte de todo esse meu martirio culposo, alguém me pergunta, a caminho da pizzaria em Jeffreys Bay, o que é a OCA?

Meu sorriso foi de orelha a orelha.

Expliquei o que é a Olaria Casa de Adoração, e o porque dos dizeres FREEDOM, CHOICES AND DREAMS na minha jaqueta.

Cara, explicar o que é fé para um londrino ateu, holandes agnóstico, em ingles, não é nada fácil.

Rapidamente, aqui vai o que eu disse pra eles.

A OCA é o núcleo jovem da igreja pentecostal Casa do Oleiro, fica no bairro de Pirituba, em São Paulo.

Encontrei lá ensinamentos de vida e comportamento, que me fizeram sentir mais perto de Deus.

É como se fossemos cegos e sentissemos a água. Não sabemos o que é. Não temos certeza de onde vem, nós só sentimos e por isso sabemos que existe.

Algumas vezes Deus é uma briza, em outras furacão.

Mas o mais importante de TUDO é que Deus não se crê, se sente.

é isso,

Bah

Blog no WordPress.com.

Acima ↑