Bungee jump

É João, eu pulei.

E foi a-ni-mal.

Olha, já saltei de para-quedas e breve, conto como foi, mas até agora o bungee foi insuperável.

Por diversos motivos, entre eles, o fato de você estar sozinho (a), com equipamento bem leve amarrado ao seu corpo, e ter que se jogar do abismo, sem poder olhar para baixo.

Bloukrans Bridge, South Africa

Saltei em dezembro de 2011, no até agora maior bungee jump do mundo, na África do Sul.

O Face Adrenalin, equipe preparada para operação do salto, fica no meio do país, entre a Cidade do Cabo e Port Elizabeth. O melhor jeito de chegar até lá é fazendo uma rota que se chama Garden Route. Disponível em várias agenciadoras de trips, como a Hot Spots (onde eu fiz).

Endereços a parte, não se pode pensar muito. Essa é a regra. Já cheguei lá como quem vai na montanha russa pela primeira vez. Um mega frio na barriga, que não se compara ao de andar até o local do salto.

É um caminho de treliças metálicas, onde é possível ver o richosinho, no qual iremos quase mergulhar.

Dá um look:

Eu fui a penúltima a saltar. Depois de ver tanta gente sumindo no abismo, quase fica fácil. Ó minha cara de feliz:

Blokrans Bridge

É insano. Juro. Mas, recompensador. A sensação de superação do medo (seu e dos outros), de liberdade, de gratidão a Deus por ter proporcionado aquele momento, são gigantes.

Na ponta dos pés

Mas o mais importante de tudo é o que fica de lição, sempre. Aquela “moral da história”, que atia Elizabete ensinava pra gente na 1a Série:

Quando estiver em dúvida entre o medo e a coragem, sempre opte pela segunda. não se deixe vencer JAMAIS pelo medo.

Aprendi que o alerta que Deus nos dá é diferente do que frio na barriga, em pensar no que de errado e ruim pode acontecer. Medo não vem de Deus.

Deus nos dá força, coragem, raça.

Está escrito em Isaías 41:10 “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.”

Period.

Anúncios

Table Mountain

Um dos cartões postais de Cape Town e da África do Sul, a Table Mountain foi uma das primeiras coisas que vi, ao sair do aeroporto, à noite, rumo a Sea Point, bairro da escola onde eu moraria por um mês.
A Table Mountain é uma montanha rochosa com o cume reto, que lembra uma mesa. A entrada para subida no ponto mais alto, fica atrás de Camps Bay.

É um dos Top 10 de Cape Town, com certeza. A vista é linda, demais, sensacional, inefável. Vale MUITO A PENA.

Para subir é possível por três caminhos: ou de bonde, ou a pé ou escalando.
Para subir a Table por qualquer um dos caminhos é necessário tomar alguns cuidados antes:

Primeiro, verificar se está funcionando. O tempo muda constantemente por lá. As vezes está o meior calorão e a plataforma está fechada, ou por conta dos fortes ventos (que segundo Kapstadianos pode chegar a 150km/h), ou por conta de nebulosidade absurda no topo, impedindo a visão ou compromentendo a segurança dos visitantes. De qualquer forma, basta entrar no site, ou pedir para o hotel ou escola ligar para o sac da Table Mountain e consultar as condições climáticas do momento.

Segundo, em caso de escalada ou caminhada, o ideal é consultar o agente do hotel ou da escola, pois o ideal é verificar se escalada ou trilha está aberta para o dia, e se possuem guias ou grupos para ambas opções.

Terceiro e nao menos importante, leve blusão de frio. É melhor carregar do que passar o frio que pode chegar no topo. Eu já contei aqui, que passei um dos frios maiores da minha vida, com sensação térmica no topo de 2oC, ventos de 60km/h e QUASE fui para o hospital, pois as mudanças de temperatura (frio congelante por muitas horas e repentinamente taxi com 24oC), quase me fizeram ter um choque térmico inverso. Graças a Deus, um banho de 1h30 bem quente de imersão, analgésicos prar dores de cabeça e anti térmicos, resolveram o problema.

Como chegar: Se estiver em Cape Town, existem aqueles onibus Hop on – Hop off, que fazem um tour pela cidade. Podem te deixar lá e em muitos outros lugares, por aproximadamente 200 rands (50 reais). Eu fui de taxi com mais 6 pessoas (Em Cape Town existem taxis para até 8), sendo que ida e volta custaram cerca de 100 rands (por pessoa).

Quanto custa: Infelizmente não cheguei a pesquisar os valores de escalada e trilha (voce pode checar aqui no site da companhia), mas para subir, o valor é de 195 rands por pessoa (valores de dezembro 2011). Tem valores especiais para crianças (até 17 anos) e idosos.
Sem dúvida vale a pena, é uma das vistas e visitas mais bonitas de Cape Town.

Uma semana

Uma semana em Cape Town, uma das capitais da Africa do Sul.

Caracas, deu pra passear muito e conhecer muita gente.

Os passeios precisam ser intercalados com praia, pra dar uma economizada no dinheiro.

As PRAIAS proximas daqui sao muito bonitas. Tem muita pedra,e uma vegetacao marinha muito estranha, rs.

A agua eh IMPOSSIVEL de nadar. Eh muito gelada. Tem que ser o supermen ou bem doidao pra nadar, do lado Atlantico. Tem inclusive avisacao de baleias (em Maio), tubaroes e focas. Muito fofinhas.

Fomos para Camps Bay, Clinfton 1,2,3 e 4. Sao bem lindas, de areia branquinha e marzao azul.

Vento gelado o dia todo, pra refrescar do sol de rachar o coco.

Aqui nao tem horario de verao, desnecessario, uma vez que o sol se poe as 20h, pelo menos em Dezembro.

As praias aqui, alias, toda a orla de Cape Town, sao rodeadas de mansoes maravilhosas. Tipo Miami, falaram…

Fomos ao Aquario, na V&A Waterfront. Outro ponto sensacional. O aquario eh realmente uma referencia de interacao com a vida marinha.

Pra chegar ateh lah, pegamos o Minibus, uma lotacao meio regularizada meio ilegal, que funciona aos trancos e barrancos, mas funciona. Custa cerca de 5 rands (R$1,50).

Nesta sexta, fiz um tour sensacional. Subimos a Table Moutain. Cara, simplesmente incrivel. Fomos de bondinho (para subir a pe demora cerca de 4h). A vista eh sensacional e a montanha eh incrivel. A vegetacao, o mar a cidade, os animais do lugar. Eh tudo sensacional.

Eu dei a maior orelhada do mundo, porque subi a montanha com uma leva blusinha de frio. Quase morri com hipotermia. Os ventos estavam absurdamente velozes e o frio tipo 5, 6ºC… soh isso.

Neste sabadao, fomos conhecer a praia de Muizemberg, no lado do oceano Indico.

A agua eh ok. Da pra nadar, e a praia eh longa, branca, com ondas, surfistas. Eh massa. Parece um povado distante (talvez seja mesmo, rs). Tem bastante povao, e MUITA escola de surf. Pena que nao estava com a minha prancha aqui. rs

Deu ate pra assistir uma pelada de Rugby, rsrsrs.

O maior problema aqui, eh que ao anoitecer tudo fica mais perigoso.

Para chegar ateh Muizemberg, fomos de trem (10 rands – 2.50 reais) e tivemso que voltar de taxi (320 rands – 80 reais), pois TODO MUNDO disse que NAO eh bacana ficarmos perambulando por ai depois das 16h, pelo menos por aqueles lados.

Tudo aqui, eh bacana agregar uma turma e rachar as contas. Beeeem mais facil.

Saudade de todo mundo.

 Bjs
Bah

Blog no WordPress.com.

Acima ↑