Estudar inglês na África do Sul

Estudar inglês na África do Sul.

Aqui seguem as impressões de uma aluna brasileira que passou um mês na África do Sul, com 3 semanas de aula.

O primeiro facilitador para aprender é que você é meio que obrigado a falar inglês para se comunicar com qualquer um. Comprar água, almoçar, perguntar a direção de um ônibus ou qualquer outro local, conhecer gente de outro país e etc.
Não tem pra onde fugir, alguma coisa você vai aprender.

O maior dificultador evidente em estudar inglês na South Africa, é que todos os brasileiros coicidentemente tiveram a mesma ideia que você. Tem MUITO brasileiro nas escolas lá. Cerca de 70% da escola, em determinadas épocas, chega a ser brasileira.

O que pode ser um dificultador mas não um impossibilitador.

Eu tive sorte de fazer muitos amigos alemães, e diga-se de passagem, é o segundo país depois do Brasil, em intercâmbio na África do Sul, o que foi massa pois eu sou freek out em conhecer novas culturas, logo, ou eu falava, ou eu falava.

Sobre os amigos brasileiros.
Apesar de ser bem comunicativa em meu hábitat natural, na SA adotei uma política de “não vim pra fazer amigos, vim para descansar”; logo, os amigos que eu fiz, estavam tbm na mesma intenção que eu ou além: A de falar inglês e conhecer novas culturas.

Indo ao que interessa, fizemos o pacto do inglês. Nos falávamos inglês, mesmo sozinhas no quarto. Tudo virou tão automático que ando cheguei no Brasil, falei até sorry pra menina do caixa da Casa do Pão de Queijo. Rs

Tudo vai do seu objetivo e de não se importar com o que os outros vão pensar de vc. Brasileiro adora aziar os outros.
O que mais tem lá é gente que sabe falar inglês, mas que fala em português com vc. Isso, exagero ou não, impede que você se desenvolva.

Sotaque sulafricano. Um tópico a parte.
A África do Sul, especialmente Cape Town, é formada por brancos, negros e pardos.
Os brancos com descendência em sua maioria britânica ou holandesa, os
pardos arábica ou indiana, e os negros, de uma das 11 etnias sulafricanas nativas.
Digo 11 pois eh o número de dialetos oficiais Da África do Sul, existem muitas outras etinias que compõem o país.

Em Cape Town a maioria dos negros descendem da cultura Xhosa.
Isso combinado à colonização britânica, dá ao sotaque um molejo diferente.

Acredito que por conta disso, a paciência em te ensinar a falar e se fazer entender seja gigante.
Pois o inglês também não é a primeira língua dos sulafricanos.
Primeiro aprendem o dialeto hereditário em casa com os pais, ou Zulu ou Xhosa por exemplo, e depois o inglês, pra se comunicar ( e principalmente por conta do turismo).

Amei!

Só não deu tempo de ter aprendido Xhosa. Uma pena.

Mas tudo bem, fica pra próxima.

Bem próxima.

Beijos,

Anúncios

Back in Brazil

Do que é feito um projeto?

Este foi o primeiro começo de ano da minha vida, que não inicio fazendo planos e promessas, nem pra mim, nem pra Deus.

Nada de pular sete ondas, nada de suspiros de um mundo melhor.

Comecei o ano indignada, me perguntando POR QUE eu demoro tanto tempo, para fazer aquilo que eu tenho vontade. Por que?

Por que sempre eu quero ser uma pessoa que eu ainda não sou. Por que?

Ir pra África do Sul, me mudou tanto por dentro que eu me vi um retangulo querendo se encaixar dentro de um triangulo, ou vice e versa, assim que voltei para o Brasil.

Anyway…

Eu decidi então orar para que as oportunidades certas surjam.

Perguntar pra mim mesmo se é um caminho que me leve a algo bom e mandar ver.

Essa foi a grande mudança. Não há promessa, há decisão na oportunidade.

Pensando nisso, que aceitei a proposta das malucas da minha igreja de correr a São Silvestre, aqui em São Paulo, no último dia de 2012.

Maluco né?

Pra quem sempre odiou academia e amou natureza, colocar um desafio de correr uma maratona, parecia algo tão distante, assim como conhecer a África um dia foi.

Mas como projetos não se fazem apenas com desejos e promessas, hoje pela manhã estávamos nós: Cibele, Maroca, Paty e eu no parque Florestal do Horto, na zona Norte de SP, prontas para o nosso primeiro treino.

Foi massa!

Aprendi que além do desafio, temos que superar as barreiras que nós mesmas colocamos na nossa vida.

Eu não sou magrela, (estou bem longe disso) e nunca fui atleta.

Correr sem ficar esbaforida é algo bem distante pra mim.

Graças as meninas, hoje corri! =D

Primeiro treino para São Silvestre

Eeeeeeeee! Aquecemos 30 minutos de caminhada power, e corremos 1min / para cada 4 de caminhada

Precisamos melhorar o ritmo, pegar firme, melhorar o tempo, mas pro primeiro dia, foi muito bom.

É isso, simples assim.

Vamos aos poucos, passo a passo, porque o final do ano está quase chegando.

risos,

Bah.

Kirstenbosch – National Botanical Garden

Queria voltar nesse dia de sol.

National Botanical Garden

O jardim botânico Nacional da Äfrica do Sul é sensacional.

Sensacional, no sentido literal da palavra: o que promove sensações.

Muitas flores, muitos tipos de árvore, e uma paz descomunal.

Neste dia que estivemos lá, eu e a Kelen, 24 de dezembro de 2011, o parque estava vazio e não tinha quase nenhum barulho além do das águas do riachinho.

Eu, preguicei e fiquei sentadinha na grama, enquanto a minha amiga desbravava o parque.

O parque é uma mistura incrível entre o natural e o natural com intervenção humana (intervenção respeitosa).

Me explico: muitas esculturas espalhadas, animais soltos, muito colorido, córregos, restaurantezinho com lanches maravilhosos (um dos melhores que comi em Cape Town) e bastante documentação de nomes, tipos de vegetação, relógio solar e etc.

Para chegar lá, tivemos que pegar um trem até Woodstock, e depois um taxi até lá. (Dá para ir apenas de taxi, mas quisemos economizar).

A entrada para estudante custa 25 rands, aproximadamente 6 reais.

Saudades, saudades, saudades desse dia, em que passei a tarde toda agradecendo a Deus pela minha viagem.

Parecia que ele estava na grama, deitadinho ali ao meu lado.

Talvez estivesse, realmente.

#ThankyouGod

Table Mountain

Um dos cartões postais de Cape Town e da África do Sul, a Table Mountain foi uma das primeiras coisas que vi, ao sair do aeroporto, à noite, rumo a Sea Point, bairro da escola onde eu moraria por um mês.
A Table Mountain é uma montanha rochosa com o cume reto, que lembra uma mesa. A entrada para subida no ponto mais alto, fica atrás de Camps Bay.

É um dos Top 10 de Cape Town, com certeza. A vista é linda, demais, sensacional, inefável. Vale MUITO A PENA.

Para subir é possível por três caminhos: ou de bonde, ou a pé ou escalando.
Para subir a Table por qualquer um dos caminhos é necessário tomar alguns cuidados antes:

Primeiro, verificar se está funcionando. O tempo muda constantemente por lá. As vezes está o meior calorão e a plataforma está fechada, ou por conta dos fortes ventos (que segundo Kapstadianos pode chegar a 150km/h), ou por conta de nebulosidade absurda no topo, impedindo a visão ou compromentendo a segurança dos visitantes. De qualquer forma, basta entrar no site, ou pedir para o hotel ou escola ligar para o sac da Table Mountain e consultar as condições climáticas do momento.

Segundo, em caso de escalada ou caminhada, o ideal é consultar o agente do hotel ou da escola, pois o ideal é verificar se escalada ou trilha está aberta para o dia, e se possuem guias ou grupos para ambas opções.

Terceiro e nao menos importante, leve blusão de frio. É melhor carregar do que passar o frio que pode chegar no topo. Eu já contei aqui, que passei um dos frios maiores da minha vida, com sensação térmica no topo de 2oC, ventos de 60km/h e QUASE fui para o hospital, pois as mudanças de temperatura (frio congelante por muitas horas e repentinamente taxi com 24oC), quase me fizeram ter um choque térmico inverso. Graças a Deus, um banho de 1h30 bem quente de imersão, analgésicos prar dores de cabeça e anti térmicos, resolveram o problema.

Como chegar: Se estiver em Cape Town, existem aqueles onibus Hop on – Hop off, que fazem um tour pela cidade. Podem te deixar lá e em muitos outros lugares, por aproximadamente 200 rands (50 reais). Eu fui de taxi com mais 6 pessoas (Em Cape Town existem taxis para até 8), sendo que ida e volta custaram cerca de 100 rands (por pessoa).

Quanto custa: Infelizmente não cheguei a pesquisar os valores de escalada e trilha (voce pode checar aqui no site da companhia), mas para subir, o valor é de 195 rands por pessoa (valores de dezembro 2011). Tem valores especiais para crianças (até 17 anos) e idosos.
Sem dúvida vale a pena, é uma das vistas e visitas mais bonitas de Cape Town.

Tell me more

Tell me more

13 anos de história no maior Safari do mundo.

Israel não sabe se vai casar ainda, talvez sua namorada tenha outro.

Na África do Sul eh legal casar com até 3 mulheres. Doido neh?

O nosso guia ama verdadeiramente esse lugar. Na verdade mais do que isso, ele ama os animais. Seria incapaz de comer carne de crocodilo, pois para ele, eh como se fossem de estimação.

Ele trabalhou como guarda noturno aqui no Kruger, onde vc acampa no meio da selva em busca de caçadores ilegais.

Uma das melhores partes da viagem foi com certeza ouvir as historias do Israel.

Ele eh um cara muito legal, 36 anos, se vê no Kruger até os 68 anos, idade limite para trabalhar lah.

O que ele nos disse eh que tudo eh uma questão de conhecer os hábitos dos animais, para desta forma, evitar os acidentes e ataques.

Creia se puder, o campeão de ataques, mortes e acidentes eh o hipopótamo, que nem carne come.

O mais sussa eh o leão. E como eu já disse, o mais improvável de se sobreviver a um ataque, eh o hipopótamo. Tudo isso porque ele se assusta muito fácil com tudo e sua forca eh capaz de cortar um ser humano ao meio, com apenas 1 mordida.

Para estar vivo até hoje, depois de estar cara a cara com leoas, sobreviver a ataque de búfalos e elefantes e escorpiões, contou que o segredo eh fazer silencio, ler a situação, controlar a emoção e PRAY.

JUST PRAY TO BE ALIVE.

Obrigada Senhor pela vida do Israel. Guarda-o e jamais permita que ele perca esse amor divino pela vida natural, que ele encontre o verdadeiro caminho para nunca perder a fé em ti.
Caminhe com ele sempre, como tem caminhado e proporcione a ele uma família, ele merece.

Bjs

Bah

20111229-180937.jpg

The Game in 4×4

Kruger

No First day de aventura mal chegamos e já fizemos um game na 4×4.
Eles chamam de game o tour pela reserva ( o que nos chamamos de Safari) pois realmente eh um
Jogo, onde ganhar eh ver os animais que vc deseja, na menor distancia possível.

Nossa barraca tem 2 camas e na nossa frente, separado por uma cerquinha, eh a reserva.

Qualquer elefante com uma míni trombadinha pode derrubar a cerca, mas beleza.

Jah vieram aqui na nossa janela
Hienas, um búfalo velhinho e depois, sua manada.

Não consigo parar de cantar as musicas do Rei Leão, rs.

Ta muito irado!!!!

A cacada pelo leão começa logo cedo, temos que acordar as 5h e partir para tentar ver o bichinho.

Cara, que difícil!
Mas esta sensacional.

20111228-191259.jpg

Safari

Safari, questão de sobrevivência

Não eh mais uma opção ficar em reservas florestais governamentais, principalmente para o big five (leão, rino, elefante, leopardo e búfalo), aqui na África.

Reservas particulares são as únicas saídas para estes animais, e MESMO ASSIM os traficantes conseguem burlar a segurança e contrabandear algumas partes que lhes forem convenientes.

Antigamente o mais procurado era o elefante, por conta do marfim.

Hoje, o animal que corre serio risco de extinção eh o rino.

Diz a lenda que o chifre do rino possui um liquido que além de afrodisíaco, supostamente pode curar o câncer.

Segundo alguns jornais aqui da África, já foi provado que não há conclusão relevante, no entanto, um rino eh morto A CADA 21 h aqui na África, segundo o WWF.

O guia do Safari que fiz no Garden Route (reserva particular), estava contando que hoje eles não atiram mais antes de tirar o chifre. Primeiro que para matar o bicho, são necessários no mínimo 3 tiros.
Eles dopam o rino e cortam o chifre a sangue frio.

O animal morre definhando por sangramento.

fiquei muito chocada.

Neste ultimo dia 23, li no jornal que obtiveram sucesso na 1a cirurgia de implantação de uma substancia nos chifres dos rinos, que anularia o efeito curandeiro do bichinho, deixando-os livres, desta forma, da ação do mercAdo negro.

Pra vc ver neh, como o ser humano pode chegar ao extremo do sangue frio pra matar o animalzinho e ao extremo da IGNORÂNCIA ao consumir coisas que ele desconhece a procedência.

Eh isso.

Bjs

Bah

20111228-185946.jpg

Jo-burg to Kruger

First day da aventura pelo Kruger.

Peguei o voo da 13:35 de hoje, pela companhia aerea Kuhula.

O aviao era chechelento e nao tinha nada pra comer free. Comprei um lanche de queijo e um cafe com leite por 40 rands (10 pilas), mas ok, era o mais barato e a ordem agora eh TO SAVE MONEY ( economizar).

Desembarquei em Johanesburg as 15:40. Cabecuda do jeito que sou, o primeiro que gritou taxi eu acenei com a cabeca dizendo que sim.

Da um desconto, minha Mala estava pesada e eu não via a hora de chegar no hotel ( pra ir pro Kruger eh necessario passar uma noite em Jo-burg). Bem, obvio que o cara nao era taxista, fui con ele ate o estacionamento e lah estava o carro dele. Passeio normal.

Cara, o Torrique (gerente de operacoes da LAL) me mata se ficar sabendo.

1o pq Jo-burg eh a cidade mais violenta da Africa do Sul. Todos os maiores indices estao aqui: estupro, assalto, roubo, e por ai vai…

Wherever, qnd percebi a burrada já era tarde. O meu coração estava super calmo e mesmo constatando racionalmente que poderia dar Muita merda, segurei nas maos de Deus e
Entrei no carro.

Cara, no final das contas, fiquei muito Feliz em conhecer o Garbon.
Ele eh descendente de Swazi, uma tribo SulAfricana, perto do Kruger. Esta juntando dinheiro pra it pro Brasil, na world cup 2014.
Foi massa.

Mas pls, não faca o que eu fiz, não durma no ponto, não marque bobeira, pode não dar certo na próxima vez.

Eu não arrisco de novo.

Beijos e Feliz Natal

Bah

20111225-230812.jpg

Woodside

Esta semana pos TRIP, foi uma das semanas mais importantes e significativas pra mim.

Orando ha algum tempo por uma virada de comportamento e conhecimento que eu sabia que a cidade tinha para me oferecer, finalmente, chegou o que eu tanto esperava.

Eu conheci o Ray na trip para  a Garden Route.

Super caladao, trocamos algumas palavras antes da 1a parada.

Ele ficou amigaco de uma germana, que estava sentada atras de mim, e deu pra ouvir a conversa, onde ele contava o que estava fazendo em Cape Town.

O Ray eh escritor. Da aulas de poesia e literatura em Londres, e esta em CPTWN para fazer trabalho voluntario como professor de ingles para criancas carentes. Acabado esse trabalho, ele emendou outro voluntariado na Woodside Village Helthcare Center, lugar de cuidados para criancas carentes com deficiencia mental.

Resumo da opera, ficamos muito amigos, ele me levou pra conhecer o OUTRO lado de Cape Town.

Ate o momento, eu soh tinha ido em festinhas furadas, tipo PUB irlandes, com um monte de gente sem nocao, 100% branquelos, loucos de pedra dancando ON THE TABLE e querendo ficar muito louco e transar. SIM, eu sou uma idiota. Mas cara, vc da uma, duas, tres oportunidades para certas pessoas e elas me decepcionaram todas as vezes.

(Soh um rapido parentes: Todo mundo combinando de ir num Karaoke. Cara, nao tem nada mais inocente do que um Karaoke, na face dessa Terra. Cara assim que eu cheguei lah, nao consegui ficar 10 minutos. Foi o tempo de pagar, entrar, sair – com a Kelen – daquele pulgueiro. Me perdoem os que gostam, mas pra mim eh over demais).

Wherever, eu juro que nao dava mais. Cara, 3% de Cape Town eh branca. 97% eh formada por negros ou pardos e em 18 dias, eu soh havia frequentado WHITE PLACES.

Bem, primeiro que fiz questao de ir conhecer onde o Ray trampava. Matei aula, pegamos o MINIBUS(ao) rs, Trem, caminhamos, e chegamos na Woodside.

O choque nao foi tao grande, pois ja tinha tido a oportunidade de ir em um hospital infantil com o Stocker & Kimura, fazer um dia das Maes.

NO ENTANTO, eh completamente impactante ver aquelas criancas/adultos tao deformados pois a deficiencia mental, muitas vezes vem acompanhada da fisica.

Essas criancas, precisam de cuidados 24h por dia, e MUITAS delas, foram abandonadas/ rejeitadas.

Elas sao classificadas pelo grau de deficiencia mental e motora. Algumas sao realmente chocantes, do tipo corpo completamente torto. COMPLETAMENTE do tipo COMPLETAMENTE.

O lugar fede, por conta da baba expelida pelas criancas, xixi na frauda e suor.

Eh tipo uma imersao, literalmente. Ficamos la durante toda a manha.

Ontem, Ray Kelen e eu, andamos pelas ruas de Woodstock, meio suburbio de Cape Town e creiam, estamos vivos.

Tambem fomos dancar no Zula, um lugar que toca musica soul, black e reggae, na Long Street.

Ai sim. Mais local e normal para os meus padroes, rs.

NADA EUROPEU, PLS!

No final das contas, eu estou bem. Essa pegada mais normal, eh mais a minha cara. Conhecer a vida das pessoas de verdade (ja tenho uma colacao de historias), e sentir a real life de Kaapstad.

Eh isso. Sao essas coisas que te fazem repensar na sua vida.

As suas atitudes fazem de voce o que vc eh.

NAO SEJA PREGUICOSO, NAO ACREDITE E NAO ACEITE O SENSO COMUM.

SEJA A MUDANCA QUE VC QUER VER NO MUNDO.

Finito.

Bjs

Bah

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑